Saiba aliar o estilo escandinavo ao minimalismo na sua casa

Saiba aliar o estilo escandinavo ao minimalismo na sua casa

Certamente um dos assuntos mais pesquisados na internet remete ao universo de casa e construção, sobretudo em sua vertente de design de interiores e decoração, como no caso do estilo escandinavo e do minimalismo.

Mas a princípio a maioria de nós pode ter várias dúvidas ao ler algumas dicas. Por exemplo, o estilo escandinavo não foi criado na região norte da Europa, lá no meio de países frios como Suécia, Noruega, Finlândia, Dinamarca e Islândia?

Neste caso, como pode ele servir para uma região tropical como a nossa? Outra dúvida muito comum é sobre a diferença entre esse estilo e o minimalismo, já que as cores neutras e o conforto são uma característica muito forte de ambos.

Então, se você quer compreender melhor esses pontos que podem soar confusos a princípio, inclusive aliando os dois estilos em sua casa, inclusive no mesmo espaço, siga adiante na leitura.

Por dentro do estilo escandinavo

O estilo escandinavo de decoração surgiu por volta de 1950, em países nórdicos, e logo começou a se disseminar pelo mundo.

O essencial dessa tendência está na valorização natural de cada ambiente, o que inclui desde aspectos da iluminação até o próprio mobiliário e acessórios de decoração.

Um modo muito prático de atingir essa finalidade hoje seria, por exemplo, pensando no envidraçamento de sacada, pois esse recurso vai determinar em grande medida a iluminação natural do ambiente.

Outro traço marcante são suas “paletas”. Lembrando que em decoração a paleta de cores nada mais é que uma combinação de tons diferentes com o propósito de atingir um resultado pretendido conforme o estilo.

No caso do escandinavo, a atmosfera específica que se alcança é a de amplitude, conforto e, até mesmo, um ambiente aconchegante, por meio do uso de cores neutras.

Além disso, o estilo escandinavo não está restrito apenas a um ou outro ambiente, como podem pensar algumas pessoas, mas atende igualmente a todos, tais como:

  • Áreas abertas;
  • Dormitórios;
  • Salas de estar;
  • Salas de televisão;
  • Copa de jantar;
  • Cozinhas;
  • Banheiros;
  • Entre outros.

O papel do minimalismo na atualidade

O modo mais natural de abordar o minimalismo, aqui, é justamente por meio do estilo escandinavo.

Afinal, o maior potencial dessa decoração escandinava está na mistura entre estilos mais tradicionais e estilos modernos ou minimalistas.

De fato, também é possível notar vários traços e conceitos de decoração modernista no atual minimalismo que vemos por aí (como os da famosa Escola Bauhaus, uma linha vanguardista criada na Alemanha em meados de 1920).

Em termos práticos o minimalismo começa a ser difundido por volta de 1960, em torno de artistas como Anne Truitt (1924-2004) e Robert Morris (1931-2018).

Hoje o conceito vai muito além, e já se disseminou entre outros nichos de mercado, como no segmento de roupas, de objetos pessoais e até nas artes plásticas e na literatura.

Dada sua popularização, é possível encontrar o termo em vários lugares, bem como atingir uma decoração minimalista de vários modos.

Você sabia que, numa loja de porcelanato, por exemplo, ao escolher um piso que mescle preto e branco, você está aderindo um traço do estilo minimalista?

Pois é. Outra tendência forte é o uso das formas geométricas e o recurso de materiais industriais presentes na decoração.

Como os dois estilos se encontram?

Já vimos acima um pouco de como o escandinavo e o minimalismo se encontram na prática. Mas é possível aprofundar um pouco mais essa opção decorativa.

Realmente, o minimalismo é um estilo que se esforça por destacar a simplicidade do mobiliário e demais objetos, além de com isso não abrir mão de aspectos mais aconchegantes. Esses são traços do escandinavo também, lembra-se?

Justamente por isso uma escolha pode ser ao mesmo tempo minimalista e escandinava. O mais interessante de tudo isso é a questão financeira: essa fusão entre os dois estilos pode favorecer o consumidor e baratear um pouco o processo de decoração.

O que determina isso está presente nos dois estilos e é o modo mais original de aliar ambos: a ausência de ornamentações clássicas.

Assim, já que as duas escolas vão na contramão do antigo estilo barroco e ornamentado, é possível conciliá-las, por exemplo, com uma simples solução de esquadrias de alumínio preço, peças feitas com formas lineares e cores neutras.

Inclusive, a maior diferença entre escandinavo e minimalista está no material que eles utilizam, sendo quase todo o restante bastante parecido.

Finalmente, também isso pode trazer vantagens financeiras: por exemplo, se um móvel de madeira com fibras naturais (mais caro) puxa para o escandinavo, outros objetos de aço inoxidável ou mesmo de plástico (mais barato) podem puxar para o minimalismo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leia Também:

Reforma de Móveis: 5 Dicas Essenciais

Maria J. Vilich

Maria J. Vilich

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.