Indústria 4.0: Você Sabe o Que É?

Indústria 4.0: Você Sabe o Que É?

O termo indústria 4.0 está cada vez mais presente nos dias de hoje. Ele é usado para definir as transformações pelas quais o setor industrial passou nos últimos anos, com a inclusão de tecnologias inteligentes para a produção de bens de consumo.

Recentemente, houve um aumento significativo no número de estabelecimentos brasileiros que empregam artifícios altamente tecnológicos e digitais, isto é, estão na Indústria 4.0, mesmo que em estágio inicial.

De acordo com dados do Portal da Indústria, o percentual das grandes empresas que utilizavam pelo menos uma tecnologia digital cresceu de 63% para 73%. 

Além disso, é estimado uma ampliação ainda maior dos representantes da Indústria 4.0 no Brasil.

Mas a indústria 4.0 significa apenas o uso de tecnologias modernas, como uma empilhadeira elétrica, ou vai além disso?

Para responder esta pergunta, o artigo de hoje vai te mostrar justamente o que é a Indústria 4.0, além de todas as vantagens das redes produtivas e sistemas inteligentes para controle e gerenciamento industrial.

Quer saber mais? Então acompanhe a leitura!

Afinal, o que é a Indústria 4.0?

O conceito de Indústria 4.0 foi usado pela primeira vez no ano de 2011, durante a Feira de Hannover, na Alemanha. A intenção era sintetizar todas as mudanças promovidas nos processos industriais, por meio da informatização. 

Nesse sentido, a estratégia alemã era cunhar um termo que resumiria todos os esforços de impulsionamento da manufatura digital, promovendo a interconexão entre produtos, cadeias de valor e modelos de negócio.

Por exemplo, um processo de usinagem cnc, que tem a sua rede computadorizada de comando numérico conectada com os demais processos industriais, para a transformação em bens de consumo, de maneira inteligente, sincronizada e automatizada.

Portanto, na Indústria 4.0 temos o uso dos elementos mais modernos em termos tecnológicos, como o big data, a internet das coisas, a inteligência artificial, o machine learning, entre outros.

Ou seja, não tem-se uma fábrica somente automatizada e informatizada, mas sim, a conexão digital dos equipamentos, dentro de um único sistema. 

Desse modo, a “indústria inteligente” pode monitorar todos os processos físicos, em tempo real, além de tomar decisões mais assertivas e menos descentralizadas.

De fato, para a implementação da Indústria 4.0 é necessário o auxílio das empresas de automação industrial, que irão oferecer os recursos ideais para o desenvolvimento tecnológico dos processos produtivos, incluindo a tecnologia robótica.

Vale dizer que a Indústria 4.0 é uma continuação do aperfeiçoamento das máquinas, em um processo que teve início na Primeira Revolução Industrial, na Inglaterra, e a partir daí nunca mais parou.

Anteriormente, nas primeiras revoluções industriais, vimos a produção em massa, as linhas de montagem, a eletricidade, entre outras tecnologias que ajudaram a melhorar as condições de trabalho, elevar o lucro dos trabalhadores e gerar competição de mercado, o cerne do desenvolvimento econômico.

Assim, em resumo, até a chegada da Indústria 4.0, podemos definir os períodos revolucionários como:

  • Primeira Revolução Industrial: desenvolvimento mecânico;
  • Segunda Revolução Industrial: desenvolvimento elétrico;
  • Terceira Revolução Industrial: desenvolvimento da automação;
  • Quarta Revolução Industrial (Indústria 4.0): inteligência artificial.

Quer dizer que, na Indústria 4.0, os impactos são causados por um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico.

Afinal de contas, mais do que um painel elétrico industrial, temos hoje um sistema inteligente, com aprendizado informatizado, artificial e conectado com demais equipamentos, máquinas e redes (até mesmo com biologia sintética).

Conceitos e tecnologias da Indústria 4.0

Para irmos além, é necessário conhecer alguns conceitos e tecnologias que envolvem a Indústria 4.0, especialmente no contexto de gerenciamento de processos e utilidades.

Dessa forma, é possível visualizar, de modo ilustrativo, como esses recursos são implementados na manufatura avançada. São eles:

1 – Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), refere-se a toda a rede de dispositivos físicos, com sensores, atuadores, eletrônica e conectividade, que permite a integração do mundo físico com sistemas digitais e informatizados.

Por exemplo, em processos de ferramentaria e usinagem, para a modelagem de ferro, a IoT possibilita a aplicação de tecnologias como o Machine Learning e o Big Data, para explorar a comunicação entre as máquinas que transformam as chapas metálicas.

Além disso, a Internet das Coisas pode se conectar na gestão de energia e utilidades, como em instrumentos de medição, arquitetura de automação e etapas da organização industrial, estendendo capacidades logísticas, de coleta, comunicação e armazenamento de dados.

2 – Gerenciamento de dados

Os dados aparecem como um dos pontos-chave para o desenvolvimento da Indústria 4.0

Afinal de contas, os sistemas inteligentes processam inúmeras informações, coletando frequências, padrões, orientações e outras medidas a cada segundo, para formar uma rede completa e uniforme de trabalho.

Devido à essa abundância de dados, é preciso uma grande disponibilidade de recursos computacionais, com técnicas de inteligência artificial que coletam, armazenam e interpretam essas informações, sendo possível identificar os padrões de interesse dentro dos processos industriais.

Ao gerenciamento de dados, damos o nome de Big Data, que são algoritmos desenvolvidos justamente para o tratamento da qualidade das informações, e que são essenciais na construção de modelos de predição.

3 – Computação em nuvem

A computação em nuvem consiste em um sistema online de servidores compartilhados, interligados na internet, que possibilitam o acesso em qualquer momento e lugar do mundo.

Na Indústria 4.0, a computação em nuvem é fundamental para ultrapassar os limites do servidores da fábrica, abrindo um leque de conectividade entre colaboradores.

Desse modo, uma empresa de montagem industrial pode armazenar seus projetos diretamente na nuvem, abrindo acesso para clientes e funcionários, tornando mais fácil o compartilhamento de informações.

4 vantagens da indústria 4.0 e seus impactos no mundo

A Indústria 4.0 chegou para revolucionar o modo como os processos de trabalho são gerenciados e administrados nas fábricas, através do uso da tecnologia de ponta para melhorar os resultados finais.

Por conta disso, todos os conceitos e tecnologias da manufatura avançada podem ser usados em qualquer tipo de produção, desde a simples transformação de chapa xadrez aço, até às modernas fábricas de montagem de automóveis.

Além disso, há muitas vantagens da Indústria 4.0, entre as quais:

1 – Redução de custos

A Indústria 4.0 oferece grande autonomia às máquinas, já que elas têm capacidade para operar e, até mesmo, programar as manutenções necessárias. 

Como consequência, é possível reduzir o orçamento das operações industriais, incluindo a necessidade de consertos em equipamentos, bem como desperdício de materiais.

Afinal, com sistemas inteligentes, é possível fabricar tubos e conexões galvanizadas da maneira correta, sem a ocorrência de erros humanos e uso de matéria-prima excedente.

Além do mais, a Indústria 4.0 ajuda a reduzir gastos com energia elétrica, já que as máquinas e equipamentos podem trabalhar somente com a quantidade necessária de eletricidade, o que diminui custos para a empresa.

2 – Aumento da produtividade

Essa é uma das vantagens mais conhecidas da Indústria 4.0. Ela permite o aumento da produtividade, sendo capaz de fabricar melhores bens de consumo, em um curto período de tempo. 

Aliás, até mesmo produtos personalizados podem ser feitos de maneira rápida e fácil.

Isso porque a Indústria 4.0 trabalha com a modulação de máquinas, ou seja, as padronizações podem ser alteradas facilmente, tornando os processos produtivos flexíveis para demandas específicas.

3 – Sustentabilidade

A Indústria 4.0 é orientada para seguir os princípios de sustentabilidade, não só na redução do consumo de energia elétrica, mas também dos demais recursos naturais.

Dessa maneira, a manufatura avançada contribui para a diminuição de impactos no meio ambiente, além de promover o reaproveitamento de materiais, em ações sustentáveis dentro dos processos produtivos.

4 – Descentralização

Os sistemas de inteligência artificial da Indústria 4.0 podem tomar decisões baseadas nas necessidades identificadas em tempo real nas linhas de manufatura. 

Isso ajuda na tomada de decisões descentralizadas, melhorando a produtividade e evitando erros humanos.

As máquinas também são capazes de predizer falhas, acelerando o diagnóstico de possíveis problemas. Dessa forma, há a manutenção do padrão de qualidade e manutenção de parâmetros de operação.

Conclusão

A Indústria 4.0 chegou para revolucionar a forma como se produz bens de consumo, oferecendo inúmeras vantagens para as fábricas.

Embora o Brasil ainda caminhe em passos lentos para essa nova concepção produtiva, as empresas já identificaram a necessidade de adaptação aos recursos tecnológicos e inteligentes da manufatura avançada.

Sendo assim, vemos uma evolução constante, através de recursos integrados, conectados e interligados à internet, para uma produção de alta qualidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leia Também:

O Que é Automação Industrial?

Maria J. Vilich

Maria J. Vilich

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.