Qual é o tipo de energia mais vantajosa para indústria?

Qual é o tipo de energia mais vantajosa para indústria?

Saber qual é o tipo de energia mais vantajosa para indústria não é uma tarefa simples. Afinal de contas, é necessário considerar todos os aspectos que envolvem a fábrica, desde a transformação dos materiais, até à distribuição de produtos ou serviços, para escolher a energia que melhor irá alimentar todos os processos.

Além do mais, é preciso refletir sobre os impactos ambientais, já que a expansão industrial provocou vários problemas, como a emissão de gases tóxicos na atmosfera e a destinação de efluentes nos rios. 

Por isso, além de uma energia de qualidade, hoje em dia o fornecimento energético também deve ter um lado sustentável.

Diante disso, vemos o crescimento da chamada Indústria 4.0, ou quarta revolução industrial (antecedida pela mecânica, elétrica e digital), que apresenta novos paradigmas de interação, autonomia e inteligência, por meio de sistemas de automação que permitem a alta produtividade, sem deixar de lado os desafios ambientais.

Sendo assim, é possível pensar em fontes de energia renováveis e limpas, como a energia solar, que vem sendo aplicada em várias fábricas, empresas de usinagem em sp e atividades do setor primário, como uma alternativa sustentável.

Além da energia solar, outras fontes energéticas, como a própria hidrelétrica e a eólica, aparecem como uma opção extremamente vantajosa para as fábricas, pois elas substituem o uso de combustíveis fósseis, que ainda aparecem como os meios de geração de energia mais usados pelas indústrias.

A necessidade de substituição de fontes não renováveis de energia elétrica

Os combustíveis fósseis foram gerados há milhões de anos pela decomposição de seres vivos, sejam eles animais e/ou vegetais. Os mais conhecidos são: petróleo e seus derivados (gasolina, óleo diesel), gás natural, xisto e carvão mineral.

Grande parte dos combustíveis fósseis são empregados como fontes de energia nas usinas termelétricas, já que a combustão desses elementos libera calor que aquece a água, gerando vapores e movimentando as turbinas – que acarreta na produção de energia elétrica.

Embora a eficiência energética seja muito alta, os combustíveis fósseis são os grandes responsáveis por impactos ambientais, em virtude dos gases poluentes que lançam na atmosfera durante a combustão.

Como exemplo, temos a produção do dióxido de carbono (CO2), um dos gases que mais afeta e intensifica o efeito estufa, agravando o problema do aquecimento global. 

Em contato com a água atmosférica, o dióxido de carbono gera a chuva ácida, que é prejudicial ao meio ambiente, especialmente para as plantas.

Outro gás extremamente prejudicial produzido durante a combustão dos combustíveis fósseis e o óxido de enxofre, que ao primeiro contato com a água, produz uma chuva ácida muito forte, com potencial para desgastar até mesmo estruturas de concreto.

Ao lado de tudo isso, soma-se o fato que os combustíveis fósseis não são renováveis, isto é, eles tendem a acabar um dia.

Por conta disso, busca-se cada vez mais por fontes renováveis e alternativas de energia para as indústrias, com um modo de geração mecânico ou elétrico, que não libera substâncias poluentes ao meio ambiente.

Esse é um dos desafios da Indústria 4.0, que investe em novas maneiras energéticas de produção de trabalhos de transformação, usinagem e ferramentaria, de modo ambientalmente correto e de qualidade.

Conheça as energias vantajosas e limpas para as indústrias

Apesar dos avanços científicos em torno da produção de energia, é necessário deixar claro que um combustível só é considerado limpo quando não contribui para a emissão de compostos de carbono.

Entretanto, algumas fontes podem interferir nos ciclos de demais elementos químicos, ainda causando impactos ambientais – porém, de nível muito menor, quando comparado aos combustíveis fósseis.

Entre algumas alternativas de energia para a indústria, destacam-se:

  • A energia solar;
  • A energia eólica;
  • A energia geotérmica;
  • A energia hidráulica.

Abaixo, confira como funciona cada uma e como aplicá-las em em serviços de usinagem cnc, entre outras produções fabris.

Atualmente, o panorama da energia renovável no Brasil está em crescimento, com inúmeros projetos de incentivo ao uso de fontes alternativas. Além disso, o país passou por uma grandiosa transformação, desde o emprego da energia eólica.

A energia hidráulica também contou com muitos avanços nos últimos anos, em decorrência das exigências ambientais, como os projetos de maior aproveitamento hídrico.

No caso da energia solar, embora esteja em processo inicial de desenvolvimento no Brasil, muitas empresas de automação industrial buscam formas de incentivar a geração fotovoltaica, uma vez que é o tipo de energia mais limpa e renovável.

1 – Energia solar

A energia solar utiliza como principal fonte de luz e calor o próprio Sol, sendo possível aproveitá-la em várias operações, como aquecimento solar, energia fotovoltaica e heliotérmica. 

Uma das grandes vantagens da energia solar é o seu baixo custo, uma vez que o Sol é gratuito. 

No entanto, a instalação do painel elétrico industrial fotovoltaico pode ser um dos empecilhos, mas precisamos ver como um investimento, devido à redução de custos com empresas concessionárias, o que significa um retorno econômico para as fábricas.

A energia solar também tem um baixo custo de manutenção (preventiva e corretiva), incluindo nos painéis fotovoltaicos. Aliás, as placas somente exigem cuidados com limpeza na superfície.

Além disso, mesmo em locais onde há excesso de poluição e poeira, como a cidade de São Paulo, os painéis fotovoltaicos não sujam em demasia, pois eles contam com uma película antiaderente, que contribui para a limpeza do equipamento.

Diante de todos os benefícios da energia solar, e por contribuir com a redução dos impactos no meio ambiente, o Governo Federal lançou algumas medidas para facilitar o investimento nesse tipo de tecnologia.

O Projeto de Lei 317/2013 diz que equipamentos e componentes para a geração de energia solar, como placas, inversores fotovoltaicos, materiais elétricos e sistemas de fixação, estão isentos de cobrança de imposto sobre importação.

2 – Energia eólica

Também chamada de “energia dos ventos”, a energia eólica é produzida pela força cinética contida nas massas de ar, com condições para transformação em eletricidade, por meio da indução eletromagnética.

A energia eólica é especialmente usada em trabalhos mecânicos, como bombeamento de água e trituração de grãos. 

No entanto, é possível observar, principalmente em cidades do Nordeste brasileiro, o uso dessa fonte renovável em vários tipos de fábricas, como na usinagem de peças.

O processo de aproveitamento da energia eólica depende de aerogeradores, que ao entrar em contato com o vento, rotacionam e geram outras fontes de energia, como a elétrica.

3 – Energia geotérmica

A energia geotérmica é gerada pelo calor da Terra, na camada conhecida como magma. A energia elétrica é adquirida por meio da perfuração do solo, em lugares onde existe grande quantidade de vapor e água quente. 

O vapor é transportado para uma central elétrica, que gira as lâminas de uma turbina e transforma a energia mecânica em elétrica.

Apesar de não ser uma das fontes renováveis mais usada nas indústrias do Brasil, ela não emite gases poluentes, sendo uma alternativa à produção de energia por combustíveis fósseis.

4 – Energia hidráulica

A principal fonte de energia no Brasil é a hidráulica, também chamada de hidrelétrica. 

Ela pode ser vista em vários trabalhos industriais, em fábricas de usinagem em americana e em todo o restante do país.

A energia hidrelétrica é obtida por meio do aproveitamento da energia cinética contida no fluxo de massas de água, que promove a rotação das pás das turbinas que compõem a usina hidrelétrica. Assim, por meio do gerador, transforma-se a cinética em elétrica.

Para a produção de energia hidrelétrica, é necessário a integração da vazão do rio, em conjunto com o desnível do terreno (que pode ser ou não natural) e a quantidade de água disponível.

Com a energia elétrica é possível colocar em funcionamento uma série de equipamentos e máquinas, inclusive tornos de usinagem cnc

Além das fábricas, ela também é a energia mais usada nas residências e empresas de todo o Brasil, já que 90% da geração de elétrica do país é proveniente das usinas hidráulicas.

Conclusão

O desenvolvimento da indústria, com a expansão de tecnologias capazes de incrementar as formas produtivas, garantindo uma alta qualidade e redução de custos, afetou não somente as formas de trabalho, mas todos os aspectos envolvidos na atividade fabril, como o uso de energias industrial.

Em conjunto a isso, há uma crescente preocupação ambiental, muito por conta do uso exacerbado de combustíveis fósseis nos séculos anteriores, que contribuíram para danos profundos ao meio ambiente, como o aquecimento global, efeito estufa, entre outros.

Por conta disso, percebeu-se a necessidade de incluir novas formas de energia, capazes de contemplar toda a produção industrial, máquinas e equipamentos, ao mesmo tempo em que se leva em consideração a preservação do meio ambiente.

Diante disso, surgem as fontes de energia alternativas e renováveis, como a solar, eólica, hidrelétrica e geotérmica, que aparecem como os tipos de energia mais vantajosas para a indústria e fábricas.

Felizmente, o Brasil conta com um grande potencial para a produção energética solar, uma das mais eficazes, baratas e limpas.

Desse modo, é possível planejar soluções que agreguem às indústrias e, ao mesmo tempo, contribua com o desenvolvimento sustentável.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leia Também:

Automação Industrial: Qual a Importância Dela na Sociedade?

Marcelo Wagner

Marcelo Wagner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.